Monday, December 11, 2017

Conheça o Parque Zoológico Eugênio Walter em Boituva

Publicado em Turismo Escrito por  Dezembro 08 2015 tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte
Avalie este item
(0 votos)

O Parque Zoológico Eugênio Walter, em Boituva (SP), é uma das opções de passeio durante as férias escolares na região de Itapetininga (SP). O local reúne espécies da fauna brasileira e também exóticas. A maioria dos animais foi levada para o local depois de apreensões em cativeiros irregulares.

São aproximadamente 75 animais de 35 espécies, entre elas, tucanos-toco, cachorros-do-mato, jabutis, emas e um casal de macaco-prego. Preferência do público, os primatas ganharam até nome: Sandra e o Xuxo.

Outro animal que encanta os visitantes é um pavão que vive solto no parque. Com penas coloridas e pose imponente, não tem quem não pare e dê passagem à ave que é admirada.

As araras canindé também encantam quem visita o parque. O estudante Pedro Santana, de 8 anos, conta que ficou admirado com as cores dos pássaros. O menino foi ao parque com a mãe e o irmão. A mãe, a cabeleireira Flávia Santana, diz que como mora na cidade, sempre aproveita para visitar o local com a família. “Aqui a gente aproveita para ensiná-los a admirar os animais e respeitar a natureza. A gente mostra para eles que é sempre bom deixar os animais livres ou em ambientes onde sejam bem cuidados”, comenta.

Já o vendedor Luiz Fernando Ferreira saiu com a família de Tatuí (SP) para visitar o parque em Boituva. “É uma experiência diferente para eles. Realmente os pequenos adoram e se divertem bastante”, diz.

O parque zoológico tem 136 mil metros quadrados. De acordo com a bióloga responsável pela área, Rossane do Amaral, 99% dos animais que vivem no local vieram do tráfico ou foram feridos, principalmente, por atropelamentos.

Após chegarem ao parque, os bichos passam por atendimento veterinário. Um casal de arara azul, por exemplo, está há 10 meses no parque e ainda em processo de recuperação depois de sofrer maus-tratos em cativeiro.

A bióloga ainda explica que a importância do zoológico vai além da exposição dos animais. O parque é também um centro de reprodução e conservação da espécie, já que a maioria dos bichos que vive no local está em extinção.

O cuxiú, por exemplo,veio da floresta amazônica. O macaco batizado de ‘Neguinho’ é tão raro que os funcionários não conseguem achar uma fêmea para ele.

Já o cisne branco coscoroba vem do outro extremo do Brasil, do Sul, e corre risco de desaparecer. As duas fêmeas que vivem no parque, nascidas em cativeiro, são os únicos exemplares do país.

Outra espécie rara é o mutum grande, uma espécie exótica da América Central. Os animais que estão no parque foram apreendidos pelo Ibama. Os pássaros também estão em extinção. “Os animais que chegam para a gente não podem ser devolvidos à natureza porque já foram domesticados. Se colocados na natureza correriam riscos de morte ou de serem caçados novamente devido ao hábito com o humano. Então, a gente trabalha, na medida do possível, com a reprodução da espécie porque assim a gente garante que essa espécie continue existindo na região”, comenta.

Dentro do parque também há um trabalho de reflorestamento com a reposição da mata nativa. “A reposição é extremamente importante. A cada ano aparecem novas espécies de plantas que são recolocadas no parque. O estado de São Paulo foi muito desmatado e, por isso, as florestas quase que não existem mais. Os animais, principalmente as aves, quando encontram um espaço aonde são protegidos e têm alimentos, tendem a ficar e fazer a reprodução. Então é extremamente importante para a região a manutenção deste local”, afirma.

Serviço

O zoológico funciona de terça-feira a quinta-feira, aos sábados e domingos das 8h às 16h30. Às sextas-feiras, fecha às 15h30. A entrada é de graça. O parque fica na avenida Pedro Eid, s/n.

Ler 2325 vezes Última modificação em Última modificação em Dezembro 14 2015

Curta nossa pagina

Procurando Turismo

Com o objetivo de fomentar o turismo em torno da região oeste de São Paulo composta pelas rodovias Castello Branco e Raposo Tavares, o jornal, distribuído há mais de 3 anos nas cabines dos pedágios e disponível na web, traz em suas páginas, dicas e matérias sobre passeios turísticos, cidades, monumentos, restaurantes, hotéis, áreas de lazer, parques públicos e eventos institucionais no interior. Um verdadeiro guia de turismo, um veículo segmentado e que tem ainda como apoio uma página no Facebook, atualizadas frequentemente, atingindo um público em torno de  1 milhão e 800 mil leitores anuais.